ITALY MUSEUM: Ingressos Museus. Roteiros guiados e experiências
Agência de Turismo Italiana Oficial

Mapa de Roma

POR QUE VISITAR ROMA?

Roma é um gigantesco museu rico em história, Roma é uma cidade para a qual retornamos e, ao mesmo tempo, é uma cidade que nunca nos deixa completamente.
Há poucas cidades com uma história viva como a de Roma, o que lhe deu o nome de "Cidade Eterna". Foi a capital do Império Romano e ainda é possível ver a sua história através das suas muitas esquinas. Entre a interminável lista de coisas para ver estão: as ruínas da Muralha Aureliana, o Arco de Constantino, os Museus Capitolinos, as Catacumbas, a Piazza Navona e a Piazza di Spgana, entre muitas outras atrações.

UM POUCO DA HISTÓRIA DE ROMA

Diz a lenda que Roma nasceu dos filhos de Martes, dois irmãos gêmeos, Rômulo e Remo, e que como não entravam em um acordo sobre o lugar para fundar a cidade, Rômulo matou seu irmão e fundou Roma no ano 753 a.C. A monarquia de Rômulo acabou em 509 a.C., e foi fundada uma nova república romana que, em menos de 40 anos, incluía a Sicília, Macedônia, Ásia Menor, Norte da África e Espanha, controlando também a parte baixa do Mediterrâneo. A partir do século II a.C. a sociedade romana sofreu várias modificações, mas os camponeses se rebelaram e a República caiu. Crasso, Pompeu e Júlio César formaram o primeiro triunvirato e, quando Crasso morreu, Pompeu se proclamou rei; Júlio César, furioso, retornou a Roma, se proclamou ditador e morreu no ano 44 a.C.
Seu sobrinho Otávio chegou ao poder aliando-se com Marco Antônio e Lépido, e dividiram o território romano entre eles. Marco Antônio, apaixonado por Cleópatra, lhe deu todos os seus bens, e o Ocidente Romano, sentindo-se ameaçado lutou contra Marco Antônio. Otávio substituiu Lépido no ano 38 a.C., unificou e pacificou o império adotando o nome de "Augusto". A literatura latina clássica se desenvolveu com Virgílio, Tibulo, Ovídio e Tito Lívio, e neste período a arte romana foi definida. A concentração urbana levou à construção de anfiteatros, termas, aquedutos, jardins e fontes. Cada imperador deixou a sua marca; Nero construiu a Domus Aurea, Vespasiano o Coliseu, Trajano a sua coluna e Adriano o Castelo de Santo Ângelo.
Com o dogma católico podemos entender a chegada dos cristãos em Roma, onde São Pedro se tornaria o primeiro bispo. Nero, bisneto de Augusto, déspota sanguinário e extravagante, perseguiu os cristãos como São Pedro. Os anos de ouro do Império Romano começaram, Roma cresceu urbana e intelectualmente. Os problemas vieram com Marco Aurélio, por causa das invasões bárbaras, problemas de sucessão, guerra civil e da perseguição aos cristãos. Roma foi saqueada e acatada por epidemias, uma situação que continuou durante quase toda a Idade Média. Foi Constantino I, o primeiro imperador cristão a favorecer a religião. Roma presenciou o surgimento das primeiras basílicas: Santa Cruz, Basílica de Santa Maria Maior, São Pedro e São Sebastião. A primeira basílica, ao lado do Palácio de Latrão foi a sede do pontificado até que o Papa Nicolau V a demoliu para construir a basílica atual.
O cristianismo se expandiu pelo mundo greco-romano e se tornou a religião oficial, assim Roma foi submetida ao poder da Igreja. Após anos de invasões, o Papa Estêvão II iniciou o Sacro Império Romano, vinculando a Igreja ao poder político. Assim começou a época de poder da Igreja, do obscurantismo, da Inquisição e das Cruzadas, até 1427 quando Roma se torna o centro do cristianismo. Ao mesmo tempo, Roma experimentava um momento de desenvolvimento de formas de expressão, o "Renascimento", e embora a doutrina da Teocracia tenha caído por terra, a Igreja manteve o seu poder. Em 1447, com o Papa Nicolau V, Roma recuperou o seu esplendor. Muitos palácios e monumentos foram construídos com a ajuda de artistas como Rafael, Bernini, Borromini e o pontificado transformou Roma com a construção de praças, igrejas e fontes.
Após a Revolução Francesa, Napoleão Bonaparte ocupou Roma, a autoridade papal milenar foi ridicularizada, dando origem a um sentimento nacionalista nos romanos. Esse sentimento se intensificou quando a Itália passou para as mãos da Áustria em 1814. Os protagonistas da luta pela Unificação da Itália foram Cavour e Garibaldi, que recuperou terras dos austríacos e cedeu outras para a França. Em 1861, a Itália consegui se unificar, porém Roma continuava sob o domínio da França e dos Papas. Roma se uniu à Itália em 1870, com a queda do império francês. A cidade se expandiu além das muralhas. Em 1929, Mussolini, com o Tratado de Latrão, reconheceu uma Igreja livre, dentro de um Estado livre, concedendo-lhe uma soma anual de dinheiro, o Vaticano, o Palácio de Latrão e a cidade de Castel Gandolfo.

O QUE É ROMA ATUALMENTE?

Atualmente Roma é a capital da Itália. Conhecida também como Cidade Eterna e abriga uma preciosa concentração de bens históricos, artísticos e arquitetônicos. O seu centro histórico é delimitado pela Muralha Aureliana, que nos conta a história de uma cidade através de uma sobreposição de vestígios de três milênios.
Após a declaração de Roma como a capital italiana, a cidade passou por um período de grande expansão. Muitos edifícios foram construídos e no início do século XX toda a área dentro das antigas muralhas já estava completamente urbanizada, começando a construção fora das muralhas. Um longo processo de modernização foi realizado ao longo do Rio Tibre e foram construídos muros para evitar inundações.

CURIOSIDADES SOBRE ROMA

Você sabia que a cidade de Roma recebe mais de 16 milhões de visitantes por ano? Roma é uma das cidades mais bonitas da Europa, e umas das mais visitadas devido aos seus monumentos e museus. O seu centro histórico é certamente a maior expressão do patrimônio histórico, artístico e cultural do mundo ocidental europeu.
Você sabia que o Mausoléu de Adriano hoje é conhecido como Castelo de Santo Ângelo? Augusto construiu o seu mausoléu no Campo Marzio e quase um século e meio depois o Imperador Adriano seguiu os seus passos e ordenou a construção de um túmulo monumental para si e para os seus sucessores.

ATRAÇÕES DE ROMA

Existem muitos motivos para visitar a Cidade Eterna, não apenas pela grande herança deixada pelo Império Romano, mas também porque no seu interior encontra-se o menor Estado do mundo, a Cidade do Vaticano, com um incontável patrimônio cultural e artístico. Aqui algumas de muitas atrações desta maravilhosa cidade (veja o Mapa de Roma):
Fontana de Trevi: com seus 20 metros de comprimento e 26 metros de altura, é a maior e mais bonita fonte de Roma, e com certeza uma das fontes mais bonitas do mundo. Lembre-se que a lenda diz que jogando uma moeda na Fontana de Trevi, você voltará a Roma!
Coliseu Romano: o maior símbolo da Cidade Eterna data de aproximadamente 2 mil anos e é o maior e mais antigo anfiteatro romano do mundo, além de ser um dos anfiteatros mais conservados.
Fórum Romano: encontra-se ao lado do Coliseu e foi o centro da vida pública e religiosa da Roma Antiga.
Palatino: acredita-se que o Monte Palatino tenha sido o berço da cultura romana, e encontra-se a 40 metros do Fórum Romano.
Panteão: Este imponente edifício foi construído no ano 126 d.C. e é o edifício mais conservado da Roma Antiga.
Vaticano ou Cidade do Vaticano: este Estado está no coração de Roma e é o menor Estado e com a menor população da Europa, possui 0,44km e menos de mil habitantes. No seu interior encontram-se: a Basílica de São Pedro, sede da Santa Sé, a Praça de São Pedro, construída por Bernini e os Museus do Vaticano com a maravilhosa Capela Sistina, além de outras atrações.
Galeria Borghese: se transformou em um dos museus de arte mais importantes do mundo já que conservas obras de Ticiano, Rafael, Caravaggio, Rubens, Botticelli, Bernini e de Canova.

Roma: Atrações